A melhor opção de inversor para seu sistema fotovoltaico


Os sistemas fotovoltaicos utilizam a energia do sol para a geração de energia elétrica. Esses sistemas são compostos por painéis solares, inversores e controladores de carga.


De todos os componentes, o que é apontado como “coração” do sistema, é o inversor, pois ele é responsável por converter a corrente contínua produzida pelos painéis em corrente alternada, o que significa que, sem ele, não poderíamos utilizar essa energia captada pelos painéis fotovoltaicos. Além disso, o papel secundário do inversor é garantir a segurança do sistema e medir a energia produzida pelos painéis solares.


Diversos tipos de inversores estão disponíveis no mercado. Podemos agrupá-los em dois grandes grupos: microinversores e inversores centrais de string.


Você sabe quais as diferenças entre eles e qual pode ser o melhor para o seu sistema? Se para essa pergunta você possui uma resposta negativa, você pode estar perdendo excelentes oportunidades de investimento em seu futuro sistema fotovoltaico.


Para responder essas e outras perguntas, nós elaboramos este conteúdo para você. Continue a leitura e confira!

Quais são as principais diferenças entre os tipos de inversores?


1. Microinversores


Os microinversores são inversores de baixa potência, mais vantajosos para residências e pequenos negócios, com consumo normalmente abaixo de 2000 kWh. É comum encontrar no mercado microinversores de potência próxima de 300W, 600W e até mesmo 900W.


São mais simples de serem instalados pois são menores, mais leves, fixados na própria estrutura dos módulos gerando uma menor queda de tensão elétrica, sobre o circuito CC, pois as mesmas já estão integradas no interior do microinversor.


Nesses sistemas o monitoramento da geração de energia é individual, tornando mais rápida a constatação de uma falha, facilitando sua manutenção. Vale ressaltar que, em caso de falha em um painel, isso não afetará a geração dos outros painéis, devido sua característica modular.

Por estarem inseridos na tecnologia MLPE (eletrônica de potência a nível de módulo), os microinversores individualizam o sistema a nível de cada painel o que permite ao cliente final e ao instalador maior segurança, comodidade e gerenciamento do seu sistema.


Tal individualização permite que as perdas geradas por sombreamento em um painel não interfiram no sistema como um todo, pois cada módulo fotovoltaico será visto com um sistema individual, permitindo uma maior geração de energia elétrica através de redução das perdas.


2. Inversores Centrais de string:


Os inversores tradicionais têm duas funções principais. A primeira, é converter a energia que está em corrente contínua para corrente alternada. A outra função é garantir a transferência da máxima potência, afinal, o sistema fotovoltaico tem como objetivo transformar energia solar em energia elétrica.


Como exemplo de inversor tradicional, podemos citar o inversor Grid Tie, que são utilizados normalmente em sistemas de microgeração e minigeração. Dependendo do tamanho do sistema utilizam-se vários inversores ligados em paralelo para conseguir a potência desejada.


Neste tipo de inversor, podemos mencionar que há um ganho de custo por utilizar menor número de inversores, porém há menor flexibilidade de projeto e manutenção. Além de que, nesse tipo de configuração, o arranjo da montagem das placas solares, por serem em série, faz com que um mal funcionamento de uma das placas afete o funcionamento das demais, o que não ocorre com microinversores.


Como os inversores otimizam a produção de energia?


Uma função muito importante que a maioria dos inversores possuem é o chamado rastreamento do ponto de máxima potência (MPPT – Maximum Power Point Tracking). O MPPT assegura que instantaneamente o inversor extraia máxima potência dos módulos fotovoltaicos.


Um problema recorrente na geração de energia fotovoltaica usando inversores comuns (centrais de string com numeros ) é o sombreamento em painéis, no qual, a sombra em um único módulo compromete o funcionamento de todo o sistema. Neste caso, os micro-inversores apresentam uma vantagem pois possuem um MPPT para cada módulo, fazendo com que não haja perdas, e mesmo que um ou mais módulos fiquem sombreados, os outros irão produzir energia normalmente.


Tecnologia MLPE

O sistema baseado na tecnologia MLPE tem a função de otimizar a geração de cada painel individualmente, usando os mesmos métodos e componentes usados para instalar sistemas tradicionais, minimizando os custos de operação e manutenção a longo prazo, pois divide a funcionalidade do inversor tradicional em dois produtos: o inversor simplificado e o otimizador de potência que fica fixado embaixo dos painéis, fazendo com que os mesmos se tornem painéis inteligentes.


Estes otimizadores de potência reduzem as perdas de potência pois individualizam o sistema fotovoltaico a nível modular, fazendo com que as perdas em um determinado painel não interfiram em toda a string (série) de módulos. Essa tecnologia de otimizadores de potência é utilizada na solução SolarEdge e na solução Apsystems a qual tem comercialização feita aqui no Brasil pela distribuidora Ecori.


Já o inversor simplificado é instalado semelhante aos inversores tradicionais, porém somente com a função de conversão de corrente contínua em corrente alternada e conexão à rede elétrica. Sendo uma das grandes vantagens da utilização desse sistema a flexibilidade de ampliação do sistema a qualquer momento.


Entenda melhor sobre tipos inversores para seu sistema entrando em contato conosco!


#inversor #mlpe #tiposdeinversores #diferençaentreinversores #microinversores #inversoresdestring #paraqueserveuminversor #marcainversor #inversorfunção

Posts Recentes