A PRESENÇA DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS NO BRASIL

Você sabe o que é uma energia renovável? Neste artigo, além de fazer uma análise sobre o crescimento das fontes renováveis no nosso país, vamos esclarecer a diferença entre energia renovável e não renovável, enfatizando as principais vantagens das energias renováveis, como elas minimizam os desastres ambientais, fortalecem a economia, sendo uma solução segura, limpa e sustentável de geração energética, na qual o Brasil é referência.



Qual a diferença entre energia renovável e energia não renovável?



As energias não renováveis utilizam recursos que se esgotam na natureza e, por isso, podem gerar diversos problemas para o meio ambiente. A energia é extraída de elementos que tendem a acabar, como o combustível fóssil (petróleo, carvão mineral, gás natural, etc.) ou os elementos radioativos usados nas usinas nucleares (urânio, plutônio, etc.).


As energias renováveis ​​são aquelas naturais, inesgotáveis, limpas e que se regeneram em pouco tempo sem impactar o meio ambiente, são obtidas a partir de recursos da natureza, como sol, ar, água, chuva, oceanos, rios, ondas, calor da terra, matéria orgânica, entre outros.



Vantagens das energias renováveis



Podemos dividir as principais vantagens em: sociais, econômicas e ambientais.


Vantagens sociais:


1- A possibilidade de levar eletricidade a comunidades remotas e de promover o desenvolvimento dessas comunidades.


2- A energia renovável é uma das grandes apostas e um dos projetos sustentáveis de empresas que fornecem energia elétrica, como a ENEL, a maior distribuidora de energia do país.


Vantagens econômicas:


1- Redução de tarifas nos serviços de eletricidade, água e gás;


2- Geração de empregos diretos (trabalhadores da construção civil, desenvolvedores, fabricantes de equipamentos, designers, instaladores, financiadores);


3- Geração de empregos indiretos (na agricultura, através da expansão dos sistemas de irrigação, na pecuária e na avicultura, com a instalação de estábulos eletrificados, no comércio e serviços);


4- Para os municípios, a redução do custo dos serviços municipais de energia elétrica (iluminação pública, bombeamento de água e edifícios públicos).


Vantagens ambientais:


1- A principal vantagem é a emissão praticamente zero de gases de efeito estufa (GEE) e outros poluentes que contribuem para as mudanças climáticas;


2- Elas ajudam a reduzir doenças relacionadas à poluição, como a asma, a pneumonia e outras doenças respiratórias;


3- Elas não precisam de grandes quantidades de água para operação;


4- Reduzem a necessidade de indústrias extrativas na medida em que o uso de combustíveis fósseis é evitado;


5- Podem reduzir a necessidade de projetos hidrelétricos em larga escala com os consequentes efeitos de inundações e erosão.



Aumento da presença das energias renováveis no Brasil




Fonte: OPENCADD


Devido aos impactos negativos causados pelo uso de combustíveis fósseis, o Brasil vem buscando a ampliação de sua matriz energética, investindo em fontes de energia renováveis, aquelas geradas a partir de recursos naturais capazes de se regenerar. O país se destaca por possuir uma matriz energética predominantemente renovável. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, em 2016, a participação de fontes renováveis na matriz energética brasileira foi de 43,5%. Considerando apenas a geração de energia elétrica, a participação de renováveis no Brasil totalizou 81,7%, enquanto o índice mundial é de pouco mais de 20%.


No setor elétrico brasileiro, a principal fonte utilizada é a hidráulica, correspondendo a 68,1% da matriz elétrica. Historicamente o país vem investindo muito em hidrelétricas, devido principalmente à abundância de recursos hídricos. Atualmente cerca de 196 usinas hidrelétricas estão em operação no país.


A dependência brasileira nas usinas hidrelétricas causou a maior crise do setor energético no País entre 2015 e 2016, devido ao baixo índice de chuvas e ao consequente desabastecimento dos reservatórios. Um país de proporções continentais, como é o Brasil, não pode estar sujeito a problemas dessa natureza. Por isso, há alguns anos, o governo e a iniciativa privada vêm unindo esforços a fim de ampliar a geração de energia solar, por meio de grandes usinas, e facilitar a aquisição de equipamentos para a geração individual de energia. A construção da maior usina de energia solar da América Latina, na Bahia, é um exemplo disso. De acordo com o projeto, a usina terá capacidade de quase 255 MW e a produção anual de energia será cerca de 500 GWh.


A biomassa tem uma participação importante na matriz energética do país, com uma colaboração de 8,2% na oferta de energia elétrica. Dentro da categoria de biomassa, a cana-de-açúcar é a fonte mais representativa, utilizada para a produção de etanol e eletricidade.


A energia eólica tem crescido muito nos últimos anos. Em 2016, este setor apresentou um aumento de 55% na produção de eletricidade em relação ao ano anterior, representando 5,4% da matriz elétrica brasileira. Os estados que se destacam na produção de energia eólica são: Rio Grande do Norte, Bahia, Ceará, Rio Grande do Sul e Piauí. Entretanto, considerando a excelente qualidade de ventos, principalmente no Nordeste, o aproveitamento eólico no Brasil ainda é reduzido.


O Brasil possui um elevado potencial para gerar energia elétrica a partir da fonte solar, pois dispõe de altos níveis de irradiação solar. Mas este recurso é muito pouco utilizado. Em 2016 apenas 0,01% do total de energia elétrica gerada no país foi proveniente da energia solar. Para termos uma ideia, neste período o Brasil possuía 81 MW de energia solar fotovoltaica instalados, não ficando entre os vinte países líderes mundiais, todos com capacidade de produção instalada superior a 1GW.


O Brasil é referência no uso de fontes energéticas renováveis, mas é fortemente inerente às hidrelétricas, o que leva a uma dependência do regime de chuvas. O país dispõe de um elevado potencial para o desenvolvimento de energias renováveis, porém este potencial ainda é pouco explorado. O investimento em fontes renováveis alternativas contribuiria para expandir a oferta de energia com menores impactos ambientais e para complementar o sistema elétrico, principalmente no período de seca, quando as hidrelétricas produzem menos.


A substituição de combustíveis fósseis por energia limpa e renovável, como a solar fotovoltaica, é a alternativa mais viável e ecologicamente correta para garantir o desenvolvimento econômico e ambiental da humanidade.


Desse modo, a busca por geração de energia limpa se tornou um investimento seguro e confiável, visto que seu campo estará crescendo cada vez mais no País. Nós, da RETEC Jr, trabalhamos com sistemas de energia solar fotovoltaica e outras soluções energéticas que permitem o uso consciente da energia. Para solicitar um orçamento de energia solar, clique aqui.



Muito obrigada pela leitura!


Posts Recentes